Cultura da soja segue com boas perspectivas






​​​​​​​











​​​​​​​

Com o clima ajudando, mais da metade da safra de soja já foi colhida no RS. As lavouras apresentam produtividades elevadas, especialmente no início da safra, reduzindo à medida que a colheita avançou para cultivares implantadas mais para o final do período de plantio e para cultivares com ciclo mais longo.

Para os técnicos da Emater, essa queda na produtividade da cultura da soja pode estar associada à ocorrência de doenças de final de ciclo, principalmente a ferrugem asiática, e a períodos de poucas chuvas no estágio de enchimento de grãos. Esses fatores também aceleraram o ciclo da cultura, provocando a antecipação da maturação e comprometendo, em parte, o enchimento de grãos.

Segundo o diretor da Epagre Projetos e Assistência Técnica, Márcio Ücker, a análise da safra gaúcha tem de dar sobre duas regiões distintas: as metades Norte e Sul do Estado. Na Metade Norte, a perspectiva é de colher em média 5 a 10 sacas a menos por hectare do que no ano passado, o que representa 60-65 sacas/ha. Na Metade Sul a situação é crítica. O severo déficit hídrico dos meses de janeiro e fevereiro farão os produtores colherem 30-35 sacas/ha – ou menos ainda.

Na região do Alto Jacuí em geral, a tecnologia empregada pelos agricultores evitou a incidência de pragas, à exceção do percevejo, no final da safra. Sobre o mercado, o indicativo é que os produtores que segurarem o produto até o 2º semestre poderão trabalhar com um preço melhor.


Epagre Projetos e Assistência Técnica


















​​​​​​​


​​​​​​​


​​​​​​​A Epagre completou 29 anos dia 12 de janeiro – foi fundada no ano de 1989 em Ibirubá, pelo engenheiro agrônomo Elmar Konrad. É uma empresa de consultoria, desenvolvimento de projetos de custeio agrícola, na área de investimentos agropecuários e assistência técnica.

A Epagre Projetos e Assistência Técnica tem 1.291 clientes e atua em 30 municípios do Rio Grande do Sul (Ibirubá, Cruz Alta, Tupanciretã, Júlio de Castilhos, Santa Maria, Santana do Livramento, Rosário do Sul, Rio Pardo e outros) e até na Bahia e em Minas Gerais. Na safra 2016/2017 financiou 34.864 hectares, o que corresponde a R$ 69.074.286,52. Conta com sete funcionários, mais os dois sócios (2 agrônomos e 4 técnicos).

O diretor Márcio Ücker explica que a Epagre presta serviços no que se refere a linhas de crédito, financiamentos e projetos para agricultores familiares, médios e grandes produtores, conforme o enquadramento, além de topografia e georreferenciamento.

Também atua no ramo agrícola através da divisão Planejar Soluções Agrícolas, voltados exclusivamente aos serviços de topografia, medições de áreas de terras, mapeamentos, divisões e georreferenciamentos. A empresa executa levantamentos planialtimétricos e georreferenciamento, regularização de imóveis rurais, elabora projetos de loteamentos, condomínios e averbação de reserva legal. O monitoramento das lavouras emprega inclusive um drone.


Correspondente Bancário - Coban

Desde julho de 2017, a Epagre presta serviço como Correspondente Bancário do Banco do Brasil (Coban), fazendo a intermediação de processos de financiamento agrícola junto ao BB, para custeio e investimento agrícola. A Epagre já é Correspondente Bancário em Lagoa Vermelha e abriu esta semana unidade Coban em Getúlio Vargas. A meta é ser o maior Correspondente Bancário do Brasil.

“Agora, as operações de custeio e investimento do Banco do Brasil de Ibirubá, serão feitas através do convênio de Correspondente Bancário, no caso a Epagre”, detalha Márcio.













​​​​​​​




​​​​​​​



Enquadramento do produtor

• Agricultor Familiar: Até 4 módulos rurais (80 ha em Ibirubá) e renda bruta anual até R$ 360 mil

• Médio produtor: renda bruta anual mais de 360 mil, até R$ 1,76 milhão

• Grande produtor: renda bruta anual maior que R$ 1,76 milhão


Linhas de Crédito

• Agricultor Familiar: Pronaf – Custeio e Mais Alimentos

• Médio Produtor: Pronamp custeio agrícola e pecuário

• Grande Produtor: Custeio: juros de 8,5% a.a, prazo de 1 ano


Investimentos

Pronamp investimento, Moderfrota, Moderinfra, ABC – Agricultura de Baixo Carbono, Inovagro, PCA (armazéns), Moderagro

Outros: CPR (Cédula do Produto Rural), EGF (Empréstimo do Governo Federal), PEPRO (Prêmio Equalizador Pago ao Produtor), Troca-Troca (Operação Barter)

Reportagem Jornal Visão Regional

Data: 21/04/2018

My Image
My Image
My Image